sábado, 20 de outubro de 2018

Educação básica - Aplicativo medirá o uso de tecnologia pelas escolas


O Ministério da Educação acaba de lançar um aplicativo para ajudar diretores, professores e alunos a medir o uso da tecnologia em cada uma das 146 mil escolas do país. Trata-se do Educação Conectada, gratuito e disponível a todos no Google Play e Apple Store. O aplicativo identifica, por meio de perguntas simples, o grau de adoção de tecnologia na sala de aula e o quanto ela está contribuindo para a melhoria do processo de ensino.

O aplicativo foi desenvolvido pelo MEC, no âmbito do Programa de Inovação Educação Conectada, criado pelo Governo Federal para apoiar a universalização do acesso à internet em alta velocidade nas escolas e fomentar o uso pedagógico de tecnologias digitais na educação básica. O programa tem quatro dimensões: visão, formação, recursos educacionais digitais e infraestrutura. Contratar serviços de internet e adquirir equipamentos já estão entre as possibilidades fornecidas por meio do programa. Agora, com o aplicativo, cada escola vai poder fazer um melhor diagnóstico e levantar as necessidades em relação a implantação ou melhoria do uso da tecnologia em sala de aula. 

A navegação do aplicativo é simples, feita até mesmo para quem não está familiarizado com a tecnologia. Tudo de forma orgânica e intuitiva. E as questões respondidas vão indicar se a escola está em um nível emergente, que é a fase inicial de implantação de tecnologia; básico, quando já há o uso por professores e alunos, embora de uma forma limitada; intermediário, quando a tecnologia é utilizada mais frequentemente em sala de aula, como facilitador do ensino e da gestão; e, por fim, avançado, aquela escola que se apoia diariamente na tecnologia para contribuir significativamente para a melhoria dos processos de ensino, aprendizagem e de gestão.

No fim, o aplicativo gera um gráfico explicando o que a escola precisa fazer para conquistar um quadro mais favorável em relação à aplicação da tecnologia.

No próximo ano, o MEC vai levantar os dados das escolas para saber como cada uma está em relação à formação (preparação do professor), à conexão, ao uso de recursos educacionais por meio da tecnologia e à infraestrutura.

Diagnóstico - O objetivo do aplicativo também é oferecer aos gestores a opção de simular diversos quadros e ajudá-los a entender as necessidades da escola.

Conectividade – Segundo as metas do Programa de Inovação Educação Conectada, todas as 146 mil escolas do Brasil devem ter acesso à internet de alta velocidade até o ano de 2024. Atualmente, cerca de 18 mil já contam com o recurso. A perspectiva é que de nos próximos meses o alcance seja de 22 mil escolas, o que significa 12,8 milhões de alunos ou 40% das matrículas dos ensinos fundamental e médio.

Acesse a página do Programa Educação Conectada

fonte: MEC

terça-feira, 16 de outubro de 2018

Disponível o material da prova da OBMEP - Nível A

Já está disponível para baixar todo o material de aplicação da prova da 1ª Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas OBMEP – Nível A.

A expectativa para este ano é que participem mais de 1,5 milhão de estudantes do 4º e 5º anos do Ensino Fundamental, que foram inscritos em mais de 20 mil escolas da rede pública de ensino em todo o país.

Segundo o cronograma do evento, as provas serão realizadas na sexta-feira, 30 de novembro de 2018, apenas nas escolas inscritas, e estarão compostas de 20 questões de múltipla escolha, que deverão ser resolvidas em um tempo máximo de uma hora e trinta minutos.

Como funciona

As Secretarias de Educação Municipais e Estaduais, além dos representantes das escolas federais são os responsáveis por baixar o material desde o site da OBMEP, realizar o envio do material às escolas participantes, bem como por qualquer eventual premiação que possa ser definida posteriormente.

Sobre a competição

Realizada este ano pela primeira vez, a competição visa contribuir para a melhoria da qualidade da educação básica; promover a difusão da cultura matemática; identificar jovens talentos; incentivar o aperfeiçoamento dos professores das escolas públicas e promover a inclusão social por meio da difusão do conhecimento.

Cronograma
11/09
Abertura das inscrições
10/10
Encerramento das inscrições
16/10
Disponibilização do material de provas (para impressão)
30/10
Realização das provas
31/10
Abertura do preenchimento do quantitativo de alunos participantes no site
16/11
Encerramento do preenchimento do quantitativo de alunos participantes no site

Para mais informações, confira o regulamento completo.
 
FONTE: OBMEP

Resultados do Encceja 2018 referentes ao Ensino Médio serão divulgados a partir de 12 de novembro

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgará os resultados do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) 2018, referentes ao Ensino Médio, a partir de 12 de novembro. A data está dentro do cronograma anunciado pelo Inep, que adiantou a aplicação para agosto para divulgar os resultados no último trimestre, para permitir que os resultados possam ser usados para acesso à Educação Superior, por meio do Sisu e do Prouni, e ao financiamento estudantil, por meio do Fies. Já os resultados do Encceja relacionados do Ensino Fundamental serão divulgados a partir de 10 de dezembro, já que não estão atrelados a essas políticas educacionais.

O Encceja 2018 teve quatro aplicações: duas no Brasil e duas no exterior, sendo uma regular e outra para pessoas privadas de liberdade ou sujeitas a medidas socioeducativos, o chamado Encceja PPL. Os brasileiros que não tiveram a oportunidade de concluir seus estudos em idade apropriada fizeram as provas em 5 de agosto. Dos 1.695.607 inscritos, 789.484 (46,6%) compareceram. Já o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos para Pessoas Privadas de Liberdade e jovens sob medida socioeducativa que inclua privação de liberdade (Encceja Nacional PPL) foi aplicado em 18 e 19 de setembro. Foram 80.683 inscritos, sendo 71.115 do sistema prisional e 9.568 do sistema socioeducativo. Na mesma data, em nove estados, foi feita a reaplicação do Encceja Nacional Regular para 65 participantes afetados por questões logísticas na aplicação de 5 de agosto.

No exterior a aplicação foi em 16 de setembro na Bélgica (Bruxelas); Espanha (Barcelona e Madri); Estados Unidos (Boston, Nova Iorque e Miami); França (Paris); Guiana Francesa (Caiena); Holanda (Roterdã); Itália (Roma); Japão (Nagóia, Hamamatsu e Tóquio); Portugal (Lisboa); Reino Unido (Londres); Suíça (Genebra); e Suriname (Paramaribo). Ao todo 1.452 participantes se inscreveram para o Encceja Exterior. Já o Encceja Exterior PPL foi aplicado de 17 a 28 de setembro, para 29 inscritos em unidades prisionais da Guiana Francesa (Caiena), Japão (Tóquio) e Turquia (Istambul).

Certificação – Será certificado o participante que atingir o mínimo de 100 pontos em cada uma das áreas de conhecimento e atingir o mínimo de cinco pontos na prova de redação adicionalmente à nota mínima em Língua Portuguesa, Língua Estrangeira Moderna, Artes e Educação Física; no caso do Ensino Fundamental; e em Linguagens e Códigos e suas Tecnologias; no caso do Ensino Médio. Os participantes podem conseguir dois documentos por meio do Encceja. O Certificado de Conclusão é para o participante que conseguir a nota mínima exigida nas quatro provas objetivas e na redação. Já a Declaração Parcial de Proficiência é para o participante que conseguir a nota mínima exigida em uma das quatro provas, ou em mais de uma, mas não em todas.

O participante pode conseguir o certificado de conclusão em uma única edição ou ao conquistar as declarações de proficiência das quatro áreas de conhecimento, em edições diferentes do Encceja. O Inep elabora, aplica e corrige as provas, mas a certificação é competência das Secretarias Estaduais de Educação e dos Institutos Federais de Educação Ciência e Tecnologia que tiverem assinado termo de adesão ao Encceja com o Inep.
 
FONTE: INEP

segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Professores do Brasil - Premiação divulga os nomes dos vencedores da etapa regional e das temáticas especiais

Os nomes dos 30 educadores de escolas públicas que tiveram seus projetos premiados na etapa regional da 11ª edição do Prêmio Professores do Brasil (PPB) foram conhecidos nesta segunda-feira, 15, Dia do Professor. Também foram divulgados os nomes dos 20 professores vencedores da premiação especial. Os resultados estão disponíveis somente na internet, na página oficial do prêmio.

No total, 4.040 professores da educação básica da rede pública de todo o país se inscreveram no PPB. O prêmio distingue e recompensa o trabalho de docentes que contribuem para a melhoria dos processos de ensino e aprendizagem desenvolvidos nas salas de aula. Os seis vencedores nacionais serão conhecidos em 29 de novembro, no Rio de Janeiro, de acordo com as seis categorias da etapa regional: Educação infantil/creche, Educação infantil/pré-escola, Anos iniciais do ensino fundamental/1º, 2º e 3º anos, Anos iniciais do ensino fundamental/4º e 5º anos, Anos finais do ensino fundamental/6º ao 9º ano e Ensino médio.

Já na categoria Temática especial, 20 professores foram premiados com trabalhos inscritos em uma das cinco temáticas - “O esporte como estratégia de aprendizagem”, “Uso de tecnologias de informação e comunicação no processo de inovação educacional”, “Boas práticas no uso de linguagens de mídia para as diferentes áreas do conhecimento no ensino fundamental e médio”, “Práticas inovadoras de educação científica” e “Educação empreendedora”.

A premiação referente às temáticas especiais inclui R$ 5 mil para os educadores vencedores ou as escolas, viagens e participação na programação da TV Escola. Treze estados, além do Distrito Federal, estão representados nessa categoria: Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Piauí, Bahia, São Paulo, Pernambuco, Paraíba, Ceará, Tocantins, Pará, Rio de Janeiro e Rondônia.

Prêmio – Iniciativa do MEC com instituições parceiras, o PPB tem por objetivo estimular a participação dos professores como sujeitos ativos na implementação do Plano Nacional de Educação e da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). A premiação dá visibilidade às boas experiências pedagógicas conduzidas pelos docentes, além de oferecer uma reflexão sobre a prática pedagógica e orientar a sistematização de experiências educacionais.

Para participar, os professores enviaram um relato da prática pedagógica desenvolvida com seus alunos. Nesta edição, foram distribuídos R$ 305 mil aos vencedores, bem como viagens educativas pelo Brasil e pelo exterior, além de placas para as escolas dos candidatos que tiverem experiências selecionadas.

Etapas – O PPB é dividido em três etapas: estadual, regional e nacional. Na estadual, os três primeiros colocados em cada categoria receberão certificados que ficarão disponíveis no próprio sistema de inscrição, cabendo ao vencedor um troféu. Na regional, são R$ 7 mil, mais troféu e viagem oferecida pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), autarquia vinculada ao MEC. Na categoria nacional, são mais R$ 5 mil e troféu.

Além de premiar trabalhos que contribuíram de forma relevante para a qualidade da Educação Básica no Brasil, o PPB valoriza o papel dos profissionais que atuam diretamente na formação das novas gerações, dando maior visibilidade às experiências pedagógicas consideradas exitosas e que podem ser adotadas por outros professores e oferecendo uma reflexão sobre a prática pedagógica e a sistematização de experiências educacionais.

Confira aqui os ganhadores desta etapa do Prêmio Professores do Brasil

fonte: MEC

Censos Educacionais do Inep revelam mais de 2,5 milhões de professores no Brasil

O Censo Escolar 2017 contabilizou 2.192.224 docentes atuando na Educação Básica brasileira, enquanto o Censo da Educação Superior 2017 revelou 349.776 docentes atuando na Educação Superior do Brasil. Juntos, os Censos Educacionais realizados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) são responsáveis por produzir as estatísticas oficiais sobre a profissão celebrada nesta segunda-feira, 15 de outubro, o Dia do Professor.

No Brasil, em 2017, mais de 2,5 milhões de pessoas atuavam como docentes na Educação Básica e na Educação Superior. Para as estatísticas educacionais, os docentes são contados uma única vez, independente de atuarem em mais de uma região geográfica, unidade da federação, município ou etapa de ensino.

Dos 2.192.224 de docentes da Educação Básica revelados pelo Censo Escolar, 1.909.462 atuam na zona urbana e 345.604 na zona rural. A maioria, 1.753.047, são mulheres, sendo 594.012 entre têm de 30 a 39 anos. Os homens são 439.177, sendo 161.344 na faixa etária de 30 a 39 anos. Desse grande universo, 1.717.545 professores possuem formação de nível superior, sendo 1.626.403 em curso de licenciatura.

Dos 349.776 docentes em exercício ou afastados, quantificados pelo Censo da Educação Superior, 340.027 estão atuando. Aqui a distribuição por sexo se inverte. Do total de docentes, 182.522 são do sexo masculino e 157.505, do feminino. Dos 340.027 professores em exercício, dez não têm graduação, 4.328 têm graduação, 65.431 têm especialização, 128.450 têm mestrado e 143.477 possuem doutorado.

Censo Escolar – Principal instrumento de coleta de informações da educação básica, o Censo Escolar e o mais importante levantamento estatístico educacional brasileiro nessa área. É coordenado pelo Inep e realizado em regime de colaboração entre as secretarias estaduais e municipais de educação e com a participação de todas as escolas públicas e privadas do país.

Censo da Educação Superior – Realizado anualmente pelo Inep, o Censo da Educação Superior é o instrumento de pesquisa mais completo do Brasil sobre as instituições de educação superior (IES) que ofertam cursos de graduação e sequencias de formação específica, além de seus alunos e docentes. Essa coleta tem como objetivo de oferecer à comunidade acadêmica e à sociedade em geral informações detalhadas sobre a situação e as grandes tendências do setor. O Censo da Educação Superior reúne informações sobre as instituições de ensino superior, seus cursos de graduação presencial ou a distância, cursos sequenciais, vagas oferecidas, inscrições, matrículas, ingressantes e concluintes e informações sobre docentes nas diferentes formas de organização acadêmica e categoria administrativa.
 
FONTE: INEP

sábado, 13 de outubro de 2018

PNLD - Escolas devem escolher obras literárias entre os dias 18 e 31

Começa no próximo dia 18 o prazo de escolha das obras literárias que as escolas públicas utilizarão no ano de 2019. O prazo para a seleção vai até 31 de outubro. Esta é a primeira vez que o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) permite que diretores e professores escolham as obras literárias do Programa Nacional do Livro e do Material Didático (PNLD) que mais se adequem ao projeto pedagógico de cada unidade de ensino.

Para realizar a escolha, as redes municipais ou estaduais e as instituições federais devem aderir formalmente ao PNLD Literário 2018. A adesão deve ser feita por meio do sistema PDDE Interativo, até 17 de outubro.

Com o intuito de ajudar na escolha do PNLD Literário 2018, o FNDE publicou em seu portal eletrônico um guia digital do programa. O material contém resenhas e informações sobre todas as obras selecionadas para esta edição. Dentro do guia, professores, diretores e coordenadores pedagógicos poderão pesquisar sobre as obras indicadas para educação infantil, anos iniciais do ensino fundamental (1º ao 5º ano) e ensino médio.

As orientações gerais sobre o processo de escolha, assim como as normas de conduta, estão disponíveis no portal do FNDE.
 
FONTE: MEC

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

PARANÁ - Inscrições para Processo Seletivo Simplificado começam no dia 15

As mudanças nos editais de inscrição para o Processo Seletivo Simplificado (PSS) da Secretaria de Estado da Educação provocaram alteração da data de início das inscrições ao processo. As inscrições, que começariam no dia 11 de outubro, deverão ser feitas a partir de 15 de outubro e vão até o dia 25. A alteração foi necessária para que o sistema de inscrição eletrônico possa ser reprogramado.

De acordo com o Departamento de Recursos Humanos da Secretaria, entre as principais alterações estão a obrigatoriedade de apresentação do comprovante de impressão da Consulta à Qualificação Cadastral (CQC / eSocial), sem divergências. Antes, este tipo de documentação era exigida apenas dos professores concursados. A alteração atende as disposições contidas no Decreto Federal n.º 8.373/2014 e Resoluções do Comitê Gestor do eSocial (Federal) n.º 1/2015 e n.º 4/2015.

O comprovante poderá ser obtido no endereço eletrônico do Governo Federal consultacadastral.inss.gov.br/Esocial/pages/index.xhtml.

Além disso, no item Aperfeiçoamento Profissional serão aceitos até 03 Certificados de Especialização.

Os editais 57, 62 e 63 foram retificados pelos editais 69, 70 e 71, respectivamente, e já estão disponíveis no site da Secretaria (www.educacao.pr.gov.br).

Serão contratados, em regime temporário, no mínimo 15 mil professores, professores pedagogos, tradutores e intérpretes de Língua Brasileira de Sinais (TILS), assistentes administrativos, técnicos agropecuários, técnicos florestais e auxiliares de serviços gerais. A mudança principal no processo é que, nos contratos de 2019, os professores PSS voltarão a ter equiparação salarial com o salário inicial dos professores concursados e receberão uma remuneração de R$ 2.831,00 para uma carga horária de 40 horas semanais. Soma-se a este valor R$ 826,00 de auxílio-transporte. Em 2018, os professores PSS contratados estão recebendo salário de R$ 2,455,00.
 
fonte: SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO PARANÁ